O Juiz e o gato escondido com o rabo de fora

0

Ou, como deve ser: Moro quer prender Lula, e eu quero prender Sérgio Moro (parte 2)!

Por que mudei o título? Achei mais apropriado para esse momento trazer um velho dito popular que muito bem descreve a condição pouco honrosa do juíz. Em sua peça inquisitória contra Lula, Moro tenta esconder seus erros, parcialidades e os puxões de orelha levados os evidenciando.

Sim, leitores, eu sei que ele não é nenhum imbecil, mas não é novidade que sua habilidade política é tão pequena quanto seus lábios são finos. Achou por bem usar sua sentença para defender-se de coisas que nem acusações eram. Fez isso por que pensou “há dúvidas pairando sobre minha cabeça, irei dissipar todas…”, mas, não dissipou. A maior prova de sua parcialidade foi a débil intenção de provar o contrário.

O LAVAJATISMO GLOBAL

A Rede Globo é a emissora mais lavajatista do Brasil. Sim, a Rede Globo que, segundo a Record é alvo de delação premiada no âmbito da própria Lava-Jato.

Como em terra Brasilis não existe nem almoço nem propaganda no Jornal Nacional grátis, os motivos exporei.

Nos autos o magistrado se manifesta da seguinte forma em relação a mídia: “132. Por  fim, ainda sobre a afirmada “guerra jurídica”,  seria ela também decorrente da  “instrumentalização da mídia”  ou estaria  sendo realizada “com apoio de setores da  mídia tradicional”. 133. Em ambiente de  liberdade de expressão, cabe à imprensa noticiar livremente os fatos.”

 Ora, ora… Quem vê este baluarte da liberdade de expressão, este monumento ao livre dizer, não pensa estar diante de alguém que tratou todas as críticas a si como um atentado à própria Lava-Jato. Quando comparado a Savonarola por um colunista da Folha de São Paulo ele foi prontamente responder sugestionando, ora vejam, que o jornal NÃO DESSE MAIS ESPAÇO PARA UMA CRÍTICA DAQUELAS!! Sim, o juiz mais famoso do Brasil pediu para que a Folha censurasse críticas a ele. Não por serem injustas, mas por serem críticas.

Mas, não acaba por aí, quando o assunto é Sérgio Moro as coisas sempre podem melhorar (ou piorar). Prossegue o Carl Schmitt tupiniquim: “[…] Não há qualquer dúvida de que  deve-se tirar a política das páginas policiais,  mas isso se resolve tirando o crime da política  e não a liberdade da imprensa.”.

Hummmm, que formidável. Mutatis mutandis, poder-se-ia dizer, Sérgio Moro, que “deve-se tirar o judiciário das páginas políticas, mas isso se resolve com decoro no magistério e não retirando a liberdade dos colunistas da grande imprensa?

Em ambos os casos, a resposta é sim. E assim deve ser por que é uma pergunta que não pode ser outra resposta. É um joguete retórico.

Agora o remendo final é ainda mais cínico. Arremata: “135. De todo modo, este Juízo não  controla e não pretende controlar a imprensa,  nem tem qualquer influência em relação ao  que ela publica.”!!!!

Há coisas que nem erradas são, de tão absurdas.

O lavajatismo Global não começou por apreço às instituições, mas porquê a operação sempre lhe rendeu bons frutos. Desde justificativas para a queda de Dilma quanto furos de reportagem.

O juiz, o mesmo que não tem influência sobre o noticiário midiático, é o mesmo que quando ordenou a condução coercitiva do presidente Lula avisou à Rede Globo, que lá estava de prontidão pelo melhor clique.

Ricardo Boechat em seu programa na Band News e também no Jornal da Band, na Rede Bandeirantes, reclamou do tratamento desigual dado às emissoras pela Operação Lava-Jato.

Segundo o jornalista, a Globo tem informações privilegiadas que a faz ter condições materiais de estar sempre a frente das concorrentes. A concorrência desleal é alimentada pela Polícia Federal e pela comarca do juíz Sérgio Moro.

Não é novidade o papel que a mídia desempenha para blindar a Lava-Jato, como pode ser visto:

Aqui: (<http://www.diariodocentrodomundo.com.br/qual-o-papel-da-midia-na-lava-jato-com-a-palavra-moro-por-paulo-nogueira/>);

Aqui: (<http://portalimprensa.com.br/noticias/ultimas_noticias/76977/o+protagonismo+da+imprensa+na+lava+jato+e+importantissimo+defende+marcelo+beraba>);

Aqui: (<http://propmark.com.br/mercado/juiz-sergio-moro-fala-sobre-papel-da-imprensa-na-lava-jato>).

CONCLUINDO

É uma associação criminosa entre Lava-Jato e mídia. Uma operação deve ancorar-se em leis e fatos, não nas versões midiáticas. Pior: NÃO DEVE O JUDICIÁRIO SER REDATOR DO JORNALISMO BRASILEIRO!!

A Lava-Jato é hoje, com todo pesar, quem dita as narrativas políticas da mídia.

Moro tentar esconder essa relação incestuosa é como um gato escondido com o rabo de fora a balançar.

Por fim, fica claro que o objetivo do juíz foi alcançado parcialmente. Conduziu o processo de tal forma atabalhoada que produziu mais lacunas que respostas. Apesar de uma pesquisa do instituto Paraná Pesquisas dizer que 63% da população concordam a condenação de Lula, é um resultado vitorioso a… Lula! Na mesma pesquisa mais de 80% respondem concordar com a prisão de Aécio Neves.

Ao fim de todo processo midiático-jurídico de mais de 30 anos contra Lula, é o líder oposicionista que lidera na rejeição popular e é encarado como marginal.

Lembrando que é uma pesquisa feita no calor da condenação de Luiz Inácio Lula da Silva, enquanto Aécio Neves retoma sua cadeira com ar de coitadinho.

Ah, ainda há o desdobramento político desde a condenação. Mas, como de costume, fica para o próximo texto.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA