Mancini elogia futebol do Leão: ‘está acima do que esperávamos’

Técnico também fez elogios ao zagueiro Kanu, autor de dois gols na partida

0
Foto: Maurícia da Matta/EC Vitória

O encaixe das peças está cada vez mais perfeito. Na quinta-feira (1º), o Vitória goleou o Ferroviário por 4×1, no Barradão, pela Copa do Nordeste, e mais: agradou – e muito – ao técnico Vagner Mancini.

Satisfeito com o desempenho do time, o técnico analisou o confronto e classificou o futebol do rubro-negro no início da temporada como “acima do esperado”. “O bom futebol apresentado está baseado na longevidade do treinador com seus atletas. Hoje a gente pode ver, até no jogo contra o Conquista, que fizemos um jogo acima. Hoje o Vitória mostrou muita qualidade em termos táticos, atacou dos dois lados, errou ainda no último passe. Mas, de maneira geral, temos que entender que ainda falta um pouco de ritmo. Espero que para domingo a equipe atue melhor. Para início de temporada, acho que está acima do que todos nós esperávamos”, disse.

Um dos destaques da partida foi o zagueiro Kanu, autor de dois gols. Apesar de o jogador carregar consigo a característica de “zagueiro-artilheiro”, Mancini explica que essa pegada mais ofensiva foi treinada e combinada com os defensores do Leão.

“Kanu tem jogo aéreo muito forte. Nós temos jogadas fortes, e a gente tenta dar uma variada para que Kanu, Bruno Bispo, quando está em campo, ataquem bem a bola. E hoje nós fomos felizes”, entrega.

Surpreendeu
No intervalo de jogo, quando o Vitória vencia o Ferroviário por 1×0, Mancini fez uma mudança no time que surpreendeu. O lateral-direito Lucas sentiu lesão muscular e, ao invés de apostar na tradicional troca por outro atleta da posição, no caso Cedric, o técnico optou pela atacante Rhayner.

A ousadia rendeu bons frutos e mais três gols na conta, um deles marcado justamente por Rhayner, mas Mancini deu satisfações ao torcedor. “Eu, na verdade, já ia mexer na equipe no intervalo. Já tinha pedido para que o Rhayner viesse quando Lucas me chamou e disse que tinha sentido lesão na perna e achava que não era nada. Nós achamos melhor tirá-lo do jogo. Achei que Rhayner e Yago dariam conta e ao longo do segundo tempo, se precisasse o Cedric daria conta”, explica ele, que fez questão de enaltecer o bom futebol desempenhado pelo atacante.

“Nós temos ido incessantemente ao mercado e não temos achado jogadores que possam vir e vestir a camisa como foi o caso do Rhayner, que entrou e dá a impressão de que está aqui desde 2015. Em função disso, temos usado o Juninho, que hoje fez mais um bom jogo, tem se entendido com o Bryan. O que facilita é que os dois têm facilidade ofensivamente. A caída do Neilton, de um atacante, acaba facilitando o serviço dos dois. Espero que continuem assim até que a gente tenha mais atletas à disposição”, concluiu.

O Vitória volta a campo domingo (4), quando enfrentará o Bahia de Feira, às 16h, no Barradão. O jogo será pelo Campeonato Baiano.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA