Gerontologia e marketing digital estão entre as carreiras mais promissoras

0

Dados divulgados esta semana pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) mostram que enquanto as médias e grandes empresas fecharam 4.683 vagas, entre janeiro e outubro deste ano, as pequenas e microempresas (PME) geraram 11.911 vagas no mesmo período.

Em 2018, quem precisar procurar emprego deve ficar atento não apenas às oportunidades geradas pelas PME, mas por setores da economia que estão conseguindo se descolar da crise econômica e gerar empregos.

Áreas como RH, gestão de empresas, marketing digital estão na lista dos setores que mais devem empregar no ano que vem.

Muitas vagas de trabalho estão se abrindo em função das mudanças no estilo de vida e na maior longevidade da população. Em todo o país, idosos que moram sozinhos ou com a família estão demandando a contratação de profissionais que os ajudem em tarefas domésticas e asseio pessoal, em alguns casos 24 horas por dia. “Está aumentando muito a procura por cuidadores, especialmente em bairros como Barra, Graça e Pituba”, afirma a enfermeira Jamile Araújo, da Cuidamor.

A empresa de Jamile faz a ponte entre clientes e cuidadores e também oferece cursos de formação profissional em uma sala do Hospital da Bahia, na Avenida Magalhães Neto. Em termos de nicho de mercado, o trabalho com idosos é dividido em três categorias.

Na primeira, que se limita à alimentação, ajuda no banho e outras tarefas simples, a vaga pode ser preenchida por cuidadores; a segunda que inclui alimentação através de sonda; e na terceira, que inclui banho na cama, é preciso ser enfermeiro. A remuneração fica em torno de um salário mínimo para cuidador e R$ 1.200 para técnico de enfermagem. O valor é um pouco maior quando o idoso tem algum grau de agressividade”, afirma Jamile.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA